Aparelho que mede taxa de oxigênio pode ajudar em diagnóstico de Covid

O Coronavírus deixou seus primeiros sinais em dezembro de 2019, na China. De lá para cá, a Covid-19 vêm atingindo várias regiões e países, deixando infectados e mortes numerosas. A grande questão é: como fazer para solucionar e identificar essa doença, que ainda não tem cura e sequer tratamento? A aposta do momento é o aparelho que mede taxa de oxigênio.

Primeiro, foi recomendado o uso do álcool gel, posteriormente, o uso de máscaras. Houve momentos em que a cloroquina também foi bastante recorrente, porém, pesquisas apontaram que a mesma não poderia solucionar o vírus. Agora, um grande aliado (não para a cura) para a identificação da doença e agravamento da mesma, tem sido o aparelho que mede taxa de oxigênio no sangue, conhecido como oxímetro.

Por que medir a taxa de oxigênio no sangue?

Já foram prescritos os sintomas da Covid-19, mesmo que ‘vira e mexe’ surgem novos sintomas para a lista. Sendo eles: febre, tosse seca, cansaço, dor de garganta, diarreia, dor de cabeça, perda de paladar ou olfato, dificuldades para respirar ou falta de ar, dores e desconfortos. 

Porém, é apontado que dois terços dos infectados não apresentam sintomas, ou seja, são assintomáticos. O grande problema, é que mesmo sem sintomas, estas pessoas podem tanto contaminar outras pessoas, como mudar o caso de uma hora para outra, passando de assintomáticos para estados graves, por exemplo.

Muitas das notificações de mortes, são exatamente assim: pessoas que estavam sentindo sintomas leves ou, até mesmo, nem sentindo sintomas e em poucas horas começaram a sentir muita falta de ar. Essa mudança de quadro, pode ser monitorada pelo medidor de taxa de oxigênio no sangue. Isso porque, segundo os especialistas, quando há comprometimento do sistema pulmonar e respiratório, há uma queda do oxigênio no sangue. 

Sabendo disso, a população infectada que se encontra em isolamento, consegue monitorar todo o funcionamento da respiração e, consequentemente, evitar ir ao hospital já em estado muito grave.

Oxímetro: como medir o oxigênio no sangue?

Se você convive com pessoas do grupo de risco, provavelmente, pense em ter um oxímetro em casa, depois de saber dessa informação de que essa medição pode salvar vidas. Só para você entender, o oxímetro é um aparelho hospitalar que qualquer pessoa pode ter em casa. Inclusive, há muitos pacientes com casos clínicos agudos e crônicos de respiração, que já utilizam em seu dia a dia, para conseguir monitorar o funcionamento do pulmão.

Porém, antes de adquirir qualquer aparelho, é importante que você saiba algumas informações importantes para que o manuseio do aparelho aconteça corretamente e, consequentemente, você consiga monitorar adequadamente a oxigenação do corpo, em casos de infecção do novo vírus.

A oxidação correta do organismo gira em torno de 95% a 100%. Ou seja, qualquer alteração entre esses números, o ideal é ir procurar um médico. Abaixo de 93% o oxímetro já notifica que está abaixo e que é que, talvez, seja necessário tomar alguns cuidados essenciais.

Como apontado em outro conteúdo que produzimos sobre esse assunto, assim como qualquer outro aparelho hospitalar e digital, também existe um percentual de erro dos oxímetros, que é exatamente de 2%. Então, se você realiza um teste rápido e alcança a taxa de 94%, por exemplo, isso significa que o real número de oxigênio que percorre o seu sangue pode ser desde 92% até 96%. Porém, ele é um dos métodos mais eficientes para fazer essa medição e é realmente utilizado dentro de hospitais e prontos-socorros.

Passo a passo: como utilizar um oxímetro 

Nem todo mundo que tem uma queda na oxigenação no sangue,  necessariamente está infectado pela Covid-19. Porém, essas alterações, significam que algo possa estar errado com o seu organismo, especialmente, relacionado a questões respiratórias e pulmonares. 

Para que a medição da quantia de oxigênio no sangue seja feito de maneira adequado, é necessário realizar o seguinte passo a passo:

#1 – Enquanto estiver fazendo a medição, evite grandes movimentações. Essa recomendação vale também para casos de pressão arterial, por exemplo.

#2 – Para que não haja nenhuma alteração, o ideal é que o paciente não utilize o oxímetro de pulso, com esmalte no dedo. Isso pode causar interferência na análise da luz.

#3 – Preste atenção se o oxímetro está posicionado de maneira adequada. Assim como para medir a temperatura do corpo, por exemplo, existe uma posição correta do aparelho hospital, o oxímetro também deve estar “preso” da maneira adequada em seu dedo, lóbulo da orelha, pulso ou pé.

Agora que já sabe o motivo pelo qual o aparelho que mede a taxa de oxigênio no sangue pode ajudar no diagnóstico da Covid-19 e, inclusive, sabe os cuidados necessários para a utilização do mesmo, conheça e tenha mais informações sobre esse aparelho: